Um dia na ABL

julho 28, 2007 às 3:09 pm | Publicado em Conto, Domenik, Língua Portuguesa | 2 Comentários

Academia Brasileira de Letras, quase duas horas.

_ Bem, creio que enfim concluímos todos os tópicos da reunião do dia presente.

_ Certamente. Parece agora justo e necessário nos abstermos para um repouso alelúico.

_ Deveras, mas a colocação de Vossa Senhoria retoma, ainda que, creio, involuntariamente, a pauta referente a neologismos.

_ Recordas bem. De forma a deixar claro nossa serventia ao país nos é recomendado aprovar pelo menos um novo vocábulo…

_ Eu opto por titular como item lexical…

_ Sim, e por que não? São sinônimos.

_ Vossa Senhoria está alegando que não estou familiarizado com a acepção de sinonímia? Isso é ultrajante!

_ Nem com todas as quimeras possíveis! Um mal entendido entre nós se instalou. Minha única aspiração era a de reforçar o fato de que não deveríamos nos ater a tais matérias diante de uma contenda que pode resultar em mais uma acepção no nosso sempre primoroso Houaiss.

_ Aceitável glosa, Vossa Senhoria, bastante aceitável.

_ Grato. Algum dos presentes propõe alguma nova significação? Talvez um novo vocábulo… Ninguém? Bastante cabível senhores. Se não há mais o que discutir, creio que poderemos dar por finalizada essa reunião.

_ Vossa Senhoria, permita-me fazer uma contraposição a seu entrevero. Mas me apetece muito ressaltar que seria produtivo ad infinitum retomar as considerações a respeito do vocábulo “quase”, cada vez mais pragmático à sua maneira.

_ Deparamo-nos com mais uma discussão abarrotada de significância. Senhores, deliberem. E nada de pantomimas desta vez.

_ Não optamos por evitar temas que envolvessem seqüelas não tão apaixonantes assim?

_ Quase não há o que discutir a respeito de “quase”. Trata-se de um ícone da Fina Flor de Lácio e deve ser preservado a todo custo.

_ Senhores, não estamos diante de uma reformulação? Por que não iniciar uma revolução?

_ Elefantescamente falando, “quase” é apocalíptico e deveria ser eliminado, o item lexical “aproximadamente” cumpre muito melhor a função.

_ Utopia! De tal forma as urbes entrariam em polvorosa!

_ Quase todos os citadinos idolatram “quase”.

_ Adoração é um passo para o ódio. E creio que esta seja a causa principal dessa confabulação.

_ Ordem! Senhor, foi delimitado nas reuniões anteriores que não devemos utilizar argumentos metafísicos, mas sim metalingüísticos!

_ Exatamente, todos lembramos o que aconteceu com nosso Senhor Machado de Assis na acalorada discussão a respeito da aparente obscenidade do vocábulo “galhofa”.

_Deveras.

_ Não temos poderio suficiente para arrastar esse assunto no momento. Devemos deixá-lo pendente e convocar os membros das demais Academias. É algo grande demais, até mesmo para nós.

_ Perdoe-me, Vossa Senhoria, mas desde quando a ABL é humilde?

_ Desde sempre, claro. Somos soberbos mas não deixamos de lado a humildade de nossas origens, as mesmas de todo o povo da  Terra de Santa Cruz.

[risos gerais]

2 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Impressionante que eu tenha conseguido entender o texto.
    Ficou a sua cara.

  2. Eu fico impressionada com a qualidade dos textos de vocês! Ficam excelentes! Sério, Tô cada vez mais fã!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: