3 semanas de amor

agosto 1, 2007 às 7:38 pm | Publicado em Família, Lola, Vida Pessoal | 6 Comentários

Finalmente, o trágico dia começou. Patricleide respira fundo pois não há mais nada a fazer senão esperar. A qualquer momento, o irmão de sua mãe vai entrar pelo portão trazendo consigo três malas enorme. Dentre elas, aquela a quem ele chama de esposa.

Patricleide começa a lembrar das visitas anteriores. Ela gostava muito dos dois, mas eles precisavam ser tão chatos? Seu tio precisava perguntar, todas as vezes, se ela já estava namorando? E a sua tia, precisava deixar a calcinha pendurada no registro?

Será que ela estava sendo implicante demais? Não. Eles é que eram folgados, isso sim. Seu tio sempre controlava a TV e fazia pum na sala. E sua tia enxugava a boca no pano de prato e falava cuspindo na hora do jantar. Sem contar que os dois tinham a mania de conversar durante do café da manhã. Como alguém consegue conversar logo cedo? Mistério.

Talvez eles não fossem tão inconvenientes se ficassem menos tempo. TRÊS semanas era tempo demais. Eles nunca ouviram falar que a distância faz as pessoas se amarem mais? Pfff, lógico que não!

Então eles chegam. Todos se abraçam alegres por se encontrarem depois de tanto tempo. Patricleide sorri, se sente mal pelos pensamentos e começa até a achar que a visita será agradá…

– E aí, já está namorando?

– Não, tio…

– Credo, na sua idade eu já era casado com a sua tia. Você precisa me arranjar um sobrinho rico.

…vel, agradável quando estiver indo embora.

***

Baseado em uma história real

Lola escreveria um texto melhor se seu tio não tivesse tomado conta do seu computador, aquele puto (o tio, não o computador).

6 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Tio é tudo igual!
    Meu padrinho vinha com essa de que eu precisava de um namorado, porque eu ia ficar encalhada o resto da minha vida e etc.
    Depois começou a falar que eu estava muito magra.
    Engordei e encontrei um namorado. Agora quando ele me vê diz: “tá ficando gordinha, hein?”. Mas eu adoro ele.

    (Felizmente minha família não fica mais do que uma semana!)

  2. Quanto ódio no coração… Bom, ódio no coração produz textos ótimos!!!

    Beijo pra Lola e um especial pra Patricleide, que ela merece!

  3. Minha família, por motivos óbvios, não gosta do meu pai. Aí ninguém nunca vem nos visitar! \o/

  4. Seria pior se você fosse na casa deles, Lola. Pelo menos aí você está no seu território.

    Todos os meus tios acham que eu estou namorando. :D

  5. Ah, eu adoro conversar no café da manhã…é a hora onde mais produzo (leia falo besteira). E meus tios eu adoro..às vezes são folgados mas ainda assim eu gosto quando passam umas duas semanas por aqui.

    Sei que com esse depoimento corro o risco de ser apedrejada..

    Sorte pra Patricleide.

  6. A Patricleide gosta dos tios, de verdade. É que ela tem uma personalidade meio ‘gato’: tem ciúmes da casa e não gosta de humanos grudentos. =P


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: