Adote uma miguxa

outubro 29, 2007 às 1:11 am | Publicado em Campanha, Elvira Yoki | 14 Comentários

As miguxas estão em extinção e eu até sinto falta delas.

Quando os blogs eram dominados por essas criaturas com senso de ortografia distorcida e gosto duvidoso, as coisas eram mais inocentes. Elas gostavam de falar sobre sua vida, seus “migos” e de quebra faziam um humor involuntário de primeira.

Em contrapartida, parte dos blogs criados hoje já nascem com o intuito de lucrar. E se você tem um blog, mas não quer colocar o raio do adsense, te chamam de idiota. O mundo colorido das miguxas foi invadido por homens engravatados, carregando maletas e cheques no bolso.

O espírito dos tempos passados não pode se acabar totalmente. Por isso estarei em breve adotando uma miguxa. Ou criando um monstro, whatever. Antes que algum senhor engravatado venha aqui derrubar os meus blogs para construir um estacionamento.

Anúncios

iVício

outubro 25, 2007 às 6:43 pm | Publicado em Cotidiano, Sr. Cetecentos Negativos | 4 Comentários

“Já aprendi a viver com a tela acesa na minha frente e os dedos digitando a toda hora. Mas o danado não encalha na quarta-feira? O estranho é que estava tudo bem, eu não estava fazendo nada de mais. “Não pode estar acontecendo, ainda preciso de você”. Mas ele nem ligou, continou na folga. Tive que levar na assistência técnica.

O técnico da loja prometeu que estaria pronto para sexta, e que eu já poderia ir pegar nesse dia. Ainda na quarta, me lembrei de uma porção de sites legais que nunca lembro quando o computador tá em casa, assim como você só lembra de alugar filmes fora da locadora.

Na quinta tive que alugar uns filmes (não falei?) para não entrar em crise. Na sexta-feira, enquanto não dava o horário, o que me salvou foi o pesque-pague, algo que me relaxa muito. Mesmo sabendo que são vidas morrendo, adoro passar horas fisgando esses seres aquáticos com nadadeiras.

Antes mesmo do horário, às 4 da tarde, já estava lá. E acontece justamente o pesadelo que me assombrava: “Não deu tempo, tinha muito conserto”. Não foi fácil disfarçar a expressão de indignação. “Tudo bem, eu entendo… Então fica pronto pra segunda?”. “É, pra segunda posso garantir”. Na minha cabeça ele não garantia nem as calças.

Até cheguei a pensar em ir numa daquelas lan-houses escuras e sombrias, mas nunca me renderia. Aqueles locais nunca me inspiraram vida, nem confiança. Não agüentaria ter que pagar para usar um computador daqueles.

No sábado minha maior diversão foi rever os filmes que tinha alugado na quinta-feira e depois ir devolver na locadora. O domingo tive que passar lendo, vendo a programação hipócrita e péssima da TV e desenhando.

Hoje eu já tava meio chapado, e fui andar no centro da cidade. Só comprei um milk-shake, mas é confortante andar no meio de tanta gente apressada.
Quando era à tarde, fui na assistência e senti a mesma sensação que se deve ter quando um filho volta pra casa. Fiquei até agora há pouco instalando vários programas perdidos, e só estou podendo aproveitar agora a internet. Eu e você somos felizes e não sabemos.”

Texto originalmente escrito em janeiro de 2006 pelo alter-ego de Sr. Cetecentos, mas que se encaixa muito bem numa situação recente da vida dele. Talvez da sua também.

Por favor, salvem a professorinha!

outubro 15, 2007 às 4:16 pm | Publicado em Elvira Yoki, Música | 2 Comentários

Hoje é dia do professor e eu não poderia fugir do clichê de falar sobre essa data. Falta de idéias é foda.

Então com a menor falta de criatividade possível resolvi fazer uma playlist com músicas para ouvir no dia dos professores. Copie, guarde, baixe, grave e dê de presente pra seu professor.

1) Amiga Professora

Um clássico da infância a música tema da professora Helena, de Carrossel.

2) Another Brick in the Wall II

Professores que não deixam os alunos em paz. Como se estes fossem uns anjos…

3) Papo de Jacaré

One-hit-wonder do P.O. Box, que fez sucesso nos anos 90, e que de wonder não tem nada.

4) Eu sei tudo, professor

Um clássico! Versão de uma música com nome muito complicado pra eu lembrar.Vale a pena ouvir!

5) Baba

Eu momento nenhum da letra, a Kelly Key diz que essa música é para um professor. Isso a gente vê no clipe.

Completem a lista.

Mãe, eu preciso ir de uniforme hoje?

outubro 14, 2007 às 3:28 pm | Publicado em Adolescentes, Escola, Felícia Tenenbaum, Infância, Moda | 6 Comentários

A coisa que eu mais tenho saudades do tempo de escola é o uniforme. Não que eu tenha usado uniformes cheios de glamour, no melhor estilo escola-da-novela-das-seis, mas simplesmente porque era prático. Eu já sabia o que eu ia usar, era só vestir, sem me preocupar com combinações, se a roupa não era um pouco demais pra ocasião, nada disso! Eu também dei sorte de nunca estudar em escolas muito rígidas. Em geral, o uniforme era a parte-de-baixo azul-marinho e a camiseta do colégio. A parte-de-baixo era então providenciada pela mamãe costureira. E a camiseta, podia ser herdada da prima mais velha e devia, obrigatoriamente, permanecer em bom estado para ser repassada pro irmão mais novo.

Na primeira série, minha mãe tratou logo de providenciar saias pregueadas azul-marinho. Eram muito fofas! Uma vez, eu sentei num chiclete verde e chorei muito. Aí a tia da cantina tirou o chiclete com gelo e virou a saia e me disse que se alguém perguntasse porque minha saia estava molhada, era pra dizer que eu molhei no bebedor!

Até a sexta série, o uniforme era mais exigência da minha mãe, porque estávamos muito enganados se achávamos que o dinheiro dela dava em árvore pra ela abastecer os guarda-roupas. Como a escola era mais pra liberal, a moda reinava nos shapes: moletons enoooormes (alguns “achados” no guarda-roupa do meu pai), calças jeans semi-baggy e centro-peito.

Na sétima série, eu mudei de cidade e fui pra escola particular, mas a dupla jeans e camiseta do colégio permaneceu. Por “jeans”, entenda-se calça, bermuda ou saia, ou pelo menos era assim que as alunas entendiam, mas não a coordenação, que logo baixou um decreto proibindo as saias… Uma pena. Nessa época, eu achei um barato ser filha de costureira! Eu e uma amiga, cuja mãe também é muito prendada, lançamos a moda, ajustando nossas camisetas do uniforme! É, porque “no meu tempo”, uniforme era, como o nome diz, uma coisa só: não interessa se você é menino, menina, gordo, magro… Hoje dá até inveja passar no portão de uma escola, verdadeiras grifes! Calça pras meninas, calça pro meninos. Pras meninas tem calça larguinha, calça justa, legging, bermuda, short, short-saia… Camiseta, regata, camiseta justinha, camisetas coloridas…

No ensino médio, a coisa afrouxou de vez e podíamos usar qualquer coisa, mas o meu guarda-roupa manteve a prateleira do uniforme. Aliás, ela existe até hoje, a prateleira das roupas de usar-pra-bater, separada das roupas-de-domingo! Aprendi a lição com a minha mãe, que dinheiro definitivamente não dá em árvore!

12/10

outubro 13, 2007 às 11:26 pm | Publicado em Cotidiano, Domenik | Deixe um comentário

Domenik está cansado de ouvir todo ano os noticiários falarem das previsões sobre as vendas esperadas para o dia das crianças e os resultados atingidos. Por isso Domenik deseja sinceramente que os senhores comerciantes tenham atingido suas metas e que no ano próximo as guardem as análises prévias para si mesmos.

E o meu presente?

outubro 12, 2007 às 8:58 pm | Publicado em Infância, Jogos, Lista, Miss Ginsu | 8 Comentários

Eu sei que hoje é dia da nossa Padroeira Nossa Senhora Aparecida, mas o comércio foi esperto e ressuscitou a data que havia sido oficializada em 1960 pelo então presidente Arthur Bernardes pra aumentar as vendas. Agora, é quase que obrigatório comprar uma lembrança pra criança da casa. Falando nisso, esse ano eu não ganhei nada. Aliás, a quase 10 anos que não ganho nada. Nem uma caixa de chocolate, que foi o último presente de dia das crianças que ganhei. Mas se fosse pra pedir, minha lista com 5 itens já estaria pronta. E é só de brinquedo mesmo – nada de ipod, nem de computador (apesar de usarem como brinquedo – pra jogar). 

  1. Playmobil – foi O brinquedo da minha infância. Sempre adorei essas coisas de casinhas, hospitais, postos de gasolina, escolas..ou seja, uma verdadeira cidade de boneco. Pra começar minha coleção, Playmobil Dollhouse.
  2. playmobil

    2. Pogobol – pulava muito nele. O bom era a disputa com os amigos pelas manobras mais radicais. Eu perdia sempre.

Pogobol
  

    3. Playstation 3 – não podia deixar um videogame de fora. E, apesar dos jogadores oficiais ainda dizerem que tem melhores, eu sou mais ele. E o 3 seria a minha escolha atual.

playstation3

    4. Jogo Detetive – sou apaixonada por jogo de tabuleiro. Tento fazer coleção. E, por incrível que pareça, não tenho esse que desejo a tanto tempo. Bem que podiam ter me dado hoje, não?

Detetive
  

    5. Jogo Scrabble – mais um pra minha coleção. Na verdade esse seria pra ver se funciona mesmo – se aumenta meu vocabulário. Vejo nos filmes e seriados o povo jogando com tanto gosto que fiquei curiosa.

scrabble
  

E você? O que queria ganhar hoje?

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.