Wind of Change

fevereiro 5, 2008 às 1:09 am | Publicado em Amigos, Elvira Yoki, Msn, Sr. Cetecentos | Deixe um comentário

Conversando com Lola e Sr. Cetecentos concluímos que como blog coletivo nós não funcionamos. E maldizemos blogs coletivos bem menos geniais que o nosso que deram certo.

Concluímos, no entanto, que como um grupo ativo em uma janela de messenger somos bons. Então, até que a fada da perseverança encontre o peixe teremos textos medíocres e engraçadinhos, também conhecidos como ‘trechos de conversa de msn’.

– – –

sábado, 26 de janeiro de 2008

Elvira Yoki: O Sr. Cetecentos tem cabeça de abóbora.

Sr. Cetecentos: Quero ver quando rasparem.

Elvira Yoki: Aí você terá cabeça de abóbora calva.

– – –

Esteticamente três blocos ficaria mais bonito. Mas não me deixaram explicar a piada e agora tenho que improvisar.

Anúncios

Marley & Eu

setembro 2, 2007 às 2:57 pm | Publicado em Amigos, Felícia Tenenbaum, Vida Pessoal | 4 Comentários

Se eu fosse um bicho, certamente eu seria um cachorro. Mais precisamente: um labrador. Mais precisamente ainda: um labrador com distúrbios de personalidade e transtorno de déficit de atenção!!

Labradores são bobos e grandes e essa é uma combinação nem um pouco segura. São do tipo que chegam em qualquer lugar derrubando tudo, têm plena consciência disso e, pior, acham lindo! Derrubam crianças, destroem móveis e continuam em volta dos donos esperando aprovação.

Assim sou eu. No chá de panela da minha melhor amiga, eu derrubei um prato de porcelana da mãe dela (que não quebrou por um milagre). Eu apareço na festa de aniversário sem presente, que eu dou duas semanas depois, num pacote horrível, isso quando eu empacoto… Eu ligo nas horas impróprias, loto caixas de e-mails, ignoro status de ocupado/ausente do msn. Acabo contando coisas dos meus amigos pra quem não devia…

Mas labradores são carinhosos e leais, muito leais. São inofensivos, mas capazes de matar qualquer um que tente fazer mal ao dono. O dono pode xingar a vontade, no final da bronca, sem rancor, o labrador vai continuar fazendo festinha como se nada tivesse acontecido.

Eu sou desastrada mesmo e nem ligo de receber pratinho de papel enquanto todas usam a porcelana… Se eu não levo presente no aniversário, é porque não achei o presente perfeito – nada de passar correndo no supermercado e levar qualquer coisa num embrulho bonito não… Minhas ligações são sempre porque eu estou preocupada ou quero saber novidades, os e-mails são sempre pessoais, nada de spam, e se eu importuno no msn, é porque estou me sentindo sozinha – mas estou sempre pronta para retribuir num momento de carência! Ah, e minha língua é grande também, mas eu tenho culpa que meus amigos são fantásticos, que eu tenho muito orgulho deles e quero contar isso pra todo mundo?! Ah, e nem adianta brigar comigo, porque eu não guardo rancor, e amanhã estou em volta de novo!!

Eu queria muito que meus amigos soubessem disso. E me perdoassem pelas falhas todas – eu sei que são muitas! Mas tenham certeza que a falta de jeito é proporcional (ainda muito menor, é verdade!) que o amor por todos eles!

PS.: o título deste post é uma referência ao livro Marley & Eu, de John Grogan, de onde também tirei as características do labrador (porque eu não tenho um – ainda!).

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.