Arma contra o stress.

fevereiro 9, 2008 às 2:50 am | Publicado em Música, Miss Ginsu, Vida Pessoal | 8 Comentários

Todos têm seus dias mais chatos, onde desde a hora em que você acorda tudo começa a desandar. É a água congelante do chuveiro, o papel higiênico que acaba e, justo neste dia, não tem rolo reserva, o chefe que resolve pedir planilhas para ontem ou a notícia de que seu salário vai atrasar de novo. Enfim, tudo que pode dar errado, dá.

Pra esses dias acho que todos deveriam ter um “santuário” – um lugar onde você se desligasse do mundo e relaxasse. Eu tenho um: meu carro. Eu adoro dirigir. E dirigir ouvindo música é a combinação perfeita.

Ultimamente meu “santuário” tem sido invadido por maus espíritos, sabe? Eles conseguem fazer com que eu me zangue no trânsito. E olha que eu tinha prometido a mim mesma ser mais tolerante. Mas às vezes não dá. É motorista me cortando, andando mais lento que uma mula puxando carroça, dobrando sem dar sinal (Pô! A sinaleira existe pra isso!). Mas o pior de todos é moto. Ô raça infeliz! A vontade que tenho é de abolir todas as motos – TODAS. Não gosto que andem na minha frente, nem no meu lado (sem falar que acho que todos os capacetes têm piolho).

Porém, santuário é santuário. E quando a coisa aperta, saco a minha arma mais poderosa atualmente no combate ao stress: o cd do The Killers- Live at Glastonbury Festival 2007.  A voz do Brandon com o som da guitarra me deixa totalmente zen. Esqueço os carros, as motos e sigo a viagem cantando em alto e bom som (no volume máximo tanto eu quanto o som) e, é claro, dançando.

 And someone is calling my name
From the back of the restaurant
And someone is playing a game
In the house that I grew up in
And someone will drive her around
Down the same streets that I did
On the same streets that I did

Smile like you mean it
Smile like you mean it

* Smile Like You Mean It – uma das minhas preferidas juntamente com This River is Wild.

Parem de nos empurrar essas crianças!

dezembro 9, 2007 às 7:51 pm | Publicado em Elvira Yoki, Música, Opinião, Televisão | 5 Comentários

Adultos têm uma glândula no cérebro que os fazem ficar idiotas na frente de crianças. Se forem crianças ditas prodígio eles extrapolam o limite da idiotice.

É lindo uma criança ter um sonho e querer realizá-lo no futuro. Só não é lindo quando esse sonho requer talento e ele estiver muito em falta. O maior exemplo disso pode ser encontrado no programa do Raul Gil.

O programa é um recheado de crianças fofas, que fazem graça, encantam adultos, mas que não têm talento. Os adultos podem até se deixar iludir e hipnotizar pela fofura, deixando os ouvidos não funcionais.

Outro exemplo clássico invadiu nossas casas junto com a novela América. Quando Gabrielzinho do Irajá chegava na minha televisão com seu cavaquinho (ou era violão? whatever!) meus ouvidos me suplicavam pra eu correr pela casa com um cotonete no ouvido. Muito bonitinho, um cego que sabe tocar, sinal de superação, etcs. Mas ele não sabia cantar! Pô, ele ser cego não fazia da gente surdo!

A última criança prodígio acabou de surgir no Faustão. O menino tem seis anos recém completados e toca teclado melhor do que muita gente. Mas ele comete o terrível erro de querer cantar junto. E a voz dele é pavorosa!

É muito terrível dizer pra uma criança desistir de seu sonho porque ela não tem talento. Só que é mais terrível ainda insistir, bater palminha, sabendo que ela não tem talento e deixá-la crescer iludida com isso. Um simples toque pode fazê-la querer evoluir e se empenhar pra conseguir seu objetivo.

Mas em se tratando de crianças, todos preferem fazer vista grossa.

Rock finlandês na Rússia

dezembro 1, 2007 às 11:50 pm | Publicado em Domenik, Música, Rússia, Vídeo | 1 Comentário

Sim, o título é bizarro porque a banda é bizarra, mas é muito boa. Os Leningrad Cowboys são uma das bandas mais geniais da década de 90 e continuam sendo no novo milênio. Ou você acha que reviver “Always Look on the Bright Side of Life” de Monty Python é pouca coisa? E tocar Delilah de Tom Jones com o Coral do Exército Vermelho?

“Always Look on the Bright Side of Life ”

“Delilah” com participação do Coral do Exército Vermelho

Eu não sei vocês, mas se eles fizerem show no Brasil eu compro o ingresso.

Mais em:

“Stairway to Heaven” http://www.youtube.com/watch?v=HHshxX9lsQg&feature=related

“My Way” http://www.youtube.com/watch?v=FGaYD40Gxu0&feature=related

Por favor, salvem a professorinha!

outubro 15, 2007 às 4:16 pm | Publicado em Elvira Yoki, Música | 2 Comentários

Hoje é dia do professor e eu não poderia fugir do clichê de falar sobre essa data. Falta de idéias é foda.

Então com a menor falta de criatividade possível resolvi fazer uma playlist com músicas para ouvir no dia dos professores. Copie, guarde, baixe, grave e dê de presente pra seu professor.

1) Amiga Professora

Um clássico da infância a música tema da professora Helena, de Carrossel.

2) Another Brick in the Wall II

Professores que não deixam os alunos em paz. Como se estes fossem uns anjos…

3) Papo de Jacaré

One-hit-wonder do P.O. Box, que fez sucesso nos anos 90, e que de wonder não tem nada.

4) Eu sei tudo, professor

Um clássico! Versão de uma música com nome muito complicado pra eu lembrar.Vale a pena ouvir!

5) Baba

Eu momento nenhum da letra, a Kelly Key diz que essa música é para um professor. Isso a gente vê no clipe.

Completem a lista.

‘Cause I’m Miss Brightside!!!

setembro 30, 2007 às 11:15 pm | Publicado em Felícia Tenenbaum, Música, Teses, Vida Pessoal | 3 Comentários

É engraçado como as vezes a gente escuta uma música é pensa que o compositor leu nossos pensamentos quando escreveu, porque é exatamente aquilo que queríamos dizer! Mais engraçado ainda quando a gente houve a música algumas vezes e gosta, mas só pára pra ouvir a letra (ou lê-la, ou traduzi-la) um tempo depois e se dá conta que é praticamente a leitura do nosso pensamento musicada!

Isso aconteceu com Mr. Brightside, do The Killers!

O cara conta uma história que conheceu uma garota, começou com um beijo e aí como podia terminar daquele jeito? E aí ele descreve toda uma cena da moça com outro cara, e eles se beijam, e oh, não, ele está tirando o vestido dela!!! Mas que ele sabe que tudo aquilo é coisa da cabeça dele, mas ele pede desesperadamente pra parar! Que ele é ciumento e queria quebrar tudo, mas que a culpa é do destino que está o chamando, porque ele é o Sr. Otimista!

Srta. Otimista, muito prazer!!!!

É e-xa-ta-men-te assim que a minha cabeça funciona, se eu fosse listar todas as situações hipotéticas dos meus paixões platônicas com outras meninas, eu escreveria livros sem fim! Se eu fosse guardar as lágrimas que chorei por isso, encheria oceanos, se eu quebrasse tudo que tenho vontade de quebrar, renovaria minha casa toda semana porque pra isso a minha cabeça tem uma criatividade sem fim!

Mas é só o preço que pago, o destino está me chamando, abro os meus olhos ansiosos… Porque eu sou a Srta. Otimista!!

PS.: este post é dedicado à Monique que me ensinou a gostar do The Killers!

Confusões

setembro 24, 2007 às 10:22 pm | Publicado em Cinema, Elvira Yoki, Literatura, Música | 5 Comentários

Por ser meio atrapalhada vez ou outra acabado trocando as bolas. Nessas horas sai coisas como…

… achar que Justin Timberlake e Timbaland são a mesma pessoa. 

Só descobri a verdade sobre isso hoje! Não acompanho notícias sobre esse cara e é Timb demais pra eu distinguir quem é quem.

… achar que a autora de livros infantis Lygia Bojunga Nunes estava morta. 

Após ler o livro Tchau, lá pelos meus dez/onze anos confundi eu-lírico com eu-real  e na minha cabeça ela tinha mesmo morrido. Sete anos depois vendo a lista de autores que iriam comparecer a bienal do livro da minha cidade quase caí de susto ao ver o nome dela.

… ficar esperando o terceiro filme de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado. 

Eu comparava muito esse filme com Pânico. Quando saiu o Pânico 3 eu fiquei esperando a terceira parte de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado. Só que na última cena de Eu Ainda Sei eu fechei os olhos e não vi que a mocinha morre… Não ficou explícito, mas pra meio entendedor uma imagem congelada basta. Ano passado (ou esse ano, whatever) acabaram lançando o tal terceiro filme, mas com outros personagens. Blé!

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.